2016 me ensinou que o que faz um ano diferente não é a ordem dos planetas e sim, cada um de nós. 2016 me ensinou que o amor verdadeiro existe e que ele se revela nos pequenos detalhes. Um sorvete no fim de tarde, um anel de compromisso, um beijo no chuva, uma canção no terminal de ônibus ou um abraço num momento difícil.

2016 me ensinou que a faculdade não é fácil, mas, que é uma das melhores fases de nossas vidas e que as maiores lições que ela dá, são ensinadas fora da sala de aula. 

Muitas vezes aprendemos mais em uma conversa descontraída com um professor, durante um trabalho de campo, no convívio com pessoas tão diferentes de nós. 2016 me ensinou que fotografia não é só tirar foto. Me ensinou que por trás daquele programa de rádio que você adora, existe um grande trabalho sendo feito. Que Alteridade não é o mesmo que empatia, mas, que ambas são importantes.

2016 me ensinou a não confiar nem na minha própria sombra. Muitas pessoas estão apenas esperando uma oportunidade para nos apunhalar pelas costas. Diga uma palavra e alguém cheio de maldade no coração é capaz de inventar toda uma história e tentar acabar com tudo aquilo que você construiu. 

Mas, apesar de todas as coisas, 2016, me ensinou mais sobre a justiça de Deus. Aprendi que não precisamos fazer justiça com as próprias mãos, Deus está no controle. Ele cuida do que e de quem nos feriu. No tempo dEle, do jeito dEle, nada passa imune aos olhos do Senhor.

2016 me afastou de muitas pessoas e me aproximou de outras. Uma das pessoas que 2016 me mostrou que não era boa companhia para mim, certa vez, me disse que 2016 seria o meu ano. E sinceramente, ela estava certa. 2016, foi o ano, em que eu mais fui surpreendida. De maneiras boas e ruins, mas foi o meu ano.

Foi o ano das minhas primeiras vezes. Foi a primeira vez que tive um namorado de verdade. Foi a primeira vez que entrei para a faculdade. Foi a primeira vez que tomei açai. Foi a primeira vez que andei de montanha-russa, foi a primeira vez que andei de avião, foi a primeira vez que vi o mar, foi a primeira que andei de barca, foi a primeira vez que fui em uma rádio, foi a primeira que fez que fiz uma entrevista, foi a primeira que gravei uma matería, foi a primeira vez que comi rabanada, foi a primeira que fui feliz durante todo um ano.

2016 me ensinou muita coisa e mal posso esperar para aprender com 2017.
  

Deixe um comentário